urso polar brasiliano

Roquette tinha umas premonições desconcertantes:

No prefácio que escreveu ao livro póstumo do seu colega de Museu, Alberto Betim Paes Leme, História Física da Terra (vista por quem a estudou no Brasil), 1943, p. 9, vaticina:

“A Humanidade há [de] morrer, um dia, como o urso polar de que fala o filósofo inglês, vendo aos poucos ir desaparecendo, na fusão, o bloco de gelo em que vive. Isso mesmo… Quem sabe?”

◊   ◊  

Published in: on 04/01/2010 at 20:30  Deixe um comentário